Nota de falecimento do ex-comandante-geral, coronel Geraldo Garcia Orti

Campo Grande (MS) – É com imenso pesar que a Polícia Militar de Mato Grosso do Sul informa o falecimento do ex-comandante-geral, coronel Geraldo Garcia Orti, 61, ontem (06/02), por volta das 23h00min, por complicações decorrentes de pneumonia, após estar aproximadamente há 20 dias internado.

O velório iniciou-se por volta das 08h00min,  no Palácio Maçônico Grande Oriente do Brasil, que fica na rua São Félix, 789, bairro Vilas Boas. O sepultamento está agendado para as 16h30min, no Cemitério Memorial Park, na Rua Francisco dos Anjos, nº 442, bairro Universitário. A previsão é de que o cortejo saia do Palácio Maçônico às 15h30min.

O coronel Orti, nascido em 22 de junho de 1956,  deixa esposa e dois filhos. Atualmente era Assessor Militar no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul e foi comandante-geral da PMMS até o ano de 2009.

O oficial entrou na Polícia Militar em 14 de fevereiro de 1978 e formou-se aspirante a oficial em 22 de novembro de 1980, pela Brigada Militar, no Rio Grande do Sul

O coronel Geraldo Garcia Orti ainda destacou-se sobremaneira, como em dentre outras funções, na posição de Diretor do Departamento de Operações de Fronteira – DOF, onde atuou de 29 de janeiro de 2003 a 08 de janeiro de 2007, e nos serviços de Inteligência .

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Waldir Ribeiro Acosta,  em nome da instituição, externa condolências a toda a família e amigos do oficial, destacando que: o coronel Geraldo Garcia Orti teve uma brilhante carreira, marcada por muito esforço e dedicação ímpares em prol da Segurança Pública e pelo intenso combate à criminalidade. O ex-comandante, também, como chefe da Inteligência, atuou firmemente contra eventos criminosos nominados crimes de pistolagem, na cidade de Dourados; atuou firmemente na repressão aos crimes de contrabando e todos os demais ilícitos. Como Diretor do DOF também combateu fortemente os chamados delitos fronteiriços e, alçado ao cargo de Comandante-Geral da PMMS, fortaleceu a logística institucional e, mais notadamente, o serviço de Inteligência da corporação, que passou a atuar com mais profissionalismo e equipamentos. Após deixar o cargo, o coronel Orti foi superintendente de Políticas de Segurança Pública na SEJUSP e atuou de forma singular também na Assessoria Militar do Tribunal de Justiça.

Destaca o comandante, ainda, que: o falecimento do ex-comandante, coronel Orti, é uma perda irreparável não somente aos seus queridos, mas também à Segurança Pública.

Assessoria de Comunicação da Polícia Militar