FLORESTINHA

FLORESTINHA

O Projeto Florestinha é um trabalho social e ambiental desenvolvido pela Polícia Militar Ambiental, o qual trabalha com crianças e adolescentes carentes de 07 a 16 anos, tirando-lhes das ruas, ou permitindo que eles não caíssem nas ruas, dando-lhes a chance de ter uma profissão e ensinando-lhes a serem cidadãos com sensibilidade ambiental. Iniciou as atividades em 23 de novembro de 1992, no município de Campo Grande  com 50 crianças.

Atualmente as crianças do Projeto Florestinha realizam nas escolas trabalhos de Educação Ambiental, por meio do teatro de fantoches e oficinas com vários temas, tais como: Plantio de Mudas, com palestra sobre desmatamento, erosões e importância da flora, etc. Reciclagem de papel, com palestra sobre os problemas relacionados aos resíduos sólidos. Visitação ao museu de animais e peixes taxidermizados (empalhados), com palestra sobre fauna, pesca, atropelamentos de animais silvestres. Ciclo da Água, com palestras sobre o uso sustentável, poluição e escassez dos recursos hídricos e, Casa da Energia. Trata-se de uma maquete de uma residência com todos os locais de consumo de energia (lâmpadas, chuveiros, ar condicionado, geladeira, micro-ondas etc.). Com esta oficina é realizada a discussão e informação sobre os tipos de energia e a importância ambiental de se economizar este recurso.

Neste ano foi reinaugurado a Unidade Florestinha Matas do Secreto, com prédio novo com sala de palestra, quadra de esporte, refeitório alojamentos e trilha para educação ambiental. Esta unidade funciona no período matutino com 60 alunos. O projeto na capital conta com duas unidades a unidade I está localizado no Parque Consul Assaf Trad, onde a prefeitura municipal de Campo Grande está implantando o Centro de Educação Ambiental-CEA Florestinha, onde além das atividades diárias do Projeto Florestinha, os integrantes do Projeto receberão alunos de escolas municipais, estaduais e particulares entre outras instituições.

PREENCHIMENTO DA TABELA DADOS DE 2014

NOME FINALIDADE DO PROJETO QUANTIDADE DE PESSOAS ATENDIDAS
CAPITAL INTERIOR
  

 

 

FLORESTINHA

 

    O projeto visa, entre outras coisas, a enfrentar o problema da marginalidade e da criminalidade crescente entre os jovens de bairros periféricos, uma vez que eles são expostos a essas mazelas da sociedade. A proposta é de não deixar que os atendidos pelo projeto venham a fazer parte dessas estatísticas. A educação, desenvolvimento artístico e cultural e recreação oferecida aos assistidos constituem as bases do projeto que, além de sociabilidade entre eles, cria também o significado de hierarquia militar e respeito ao próximo.  

 

 

60

 

 

 

400